quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Mariana era diferente

- Mari, olha só que cabelo desarrumado o seu, amiga!

- A Mari é assim mesmo!

- Assim como? Alguém podia me explicar?

A Mariana não era igual e também não era única. Poderia ser diferente das amigas.

- Mari, olha que gatinho!

- É, pode ser...

Definitivamente, Mariana era diferente.

- Mari, você é infeliz?

- Acho que sim. Sou tão diferente. Não penso e não sinto igual a vocês. Quero mudar!

- Primeiro deixa este cabelo crescer, lixa estas unhas e usa um pouco de maquiagem!

Passam os dias e Mariana está igual.

- Feliz Mari?

- Estou! Procurei um psicólogo. O Dr. Viana, ele é um máximo!

- Ah! Agora sim, você vai ser igual à gente. Conta como é lá?

- Olha só, no próximo dia, irei mostrar meus poemas e falaremos sobre artes.

- E quando você vai mudar?

- Não sei, só sei que é muito legal e estou me identificando com tudo.

E o silêncio toma as amigas.

- Minha gente, vocês viram o filme com aquele ator lindo e maravilhoso?

- Ainda não! Vamos todas!

E Mariana não entendia, não era para ela ser normal, a terapia não estava funcionando.

- E lá vou eu, chegando atrasada. O Dr. Viana não vai perdoar.

- Mariana Alencar?

- Sim, sou eu.

- Você chegou muito atrasada, vai ter que esperar mais meia hora.

- Tudo bem.

- Nossa! Como aqui está frio, não gosto de frio. Muito prazer, meu nome é Laís, e o seu?

- Mariana, prazer. Você veio para o Dr. Viana?

- Sim, claro. Ele é ótimo! Hoje vou mostrar todos os meus contos

- Eu também! Só que poesias. Olha só.

- São muito boas. Posso ficar com algumas, quero colocar no meu blogger.

- Claro, aproveite e anota o endereço dele.

- Aqui está. Prazer Mariana.

- Prazer.

E a noite, ela entra no blogger e lá está a sua poesia. Toda orgulhosa, ler e reler tudo. E comenta, com uma admiração por aquela nova pessoa que conheceu.

- Mariana, você tem que ir para esta exposição, vai ter recital de poesias e bandas experimentais.

- Ah, vou sim, Laís, mas nunca fui a um lugar assim.

- Não há problemas, lá estarão meus amigos, vou apresentá-los.

- Alô Mariana. É a Lia. Tudo certo para o barzinho hoje, não é?

- Sabe o que é Lia, estou morrendo de sono.

- Não acredito Mari!

- É sim, deixa para a próxima.

- Mari, você vai adorar meus amigos, eles são excêntricos e divertidos. Boa Noite, galera! Esta é a Mariana.

- Olá! Pode sentar, aceita um copo de vinho?

- Claro que aceito.

Já passava da meia noite, Mariana não quis ir para casa. A noite estava perfeita. Conversa sobre livro, cinema e poesia. Mariana sorria e sorria.

- Vamos todos para o meu apartamento! Lá tem mais bebida!

Em um momento da noite, Mariana estava olhando para Laís. Seus olhos se cruzaram numa força que elas não saberiam explicar. As mãos encostadas e o impulso era o magnetismo de suas bocas. Era paixão. E, elas, logo descobriram.

- Mari, você está feliz?

Agora sim, Laís. Agora sim.

2 comentários:

deliedieck disse...

Primeira vez no Elusivo e que boa supresa hein!! Espero que o ensaio fotográfico fique tão bom quanto o texto inspirador..

Parabéns por todo o conteúdo e que o blog seja um sucesso!

BjuS!

Sil Leite disse...

adorei, hein??!!

;*


adicionei o teu blog lá no meu
(leetraz.blogspot.com)


beijo.