segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Inconstância

As palavras ficam presas na garganta. Dor insuportável! Deixar você ir, seus passos são pesados e a cada passo, uma dor rasga meu peito. Você não ficou, saiu apressado e não ouviu meu choro de angústia, era medo, era receio. Estou perdida, desabafo minhas frustrações e você me abraça e transparece força. Preciso disso para continuar. Espero a sua verdade, ela vem e me machuca. Como você consegue enxergar cada detalhe do que eu sou? Dilema. Olho todos, as ruas são iguais, uma paisagem, um quadro faltando acabamento, faltou a cor. Preto e branco. 3X4. Falta um pedaço, a parte principal, falta a poesia, mas ela está em mim, quando não ultrapasso a minha calma. Ela está na beira e pode pular. Passos lentos. Ela errava tanto e queria uma máquina que lavasse seus erros. Que deixasse branco o vestido preto. Ela queria o sol, a noite ofuscava os seus olhos. Ela queria você, somente você.

2 comentários:

Estêvão dos Anjos disse...

Posso roubar?

n sei pq mas acho q foi pra mim? foi por isso q perguntou como eu estava com a amada? ou é viagem minha?

bju e so roubo se vc deixar

Pequena disse...

Adoro!

Esta seqüência de sensações, pensamentos e palavras... achei meio musical também!

Tá td lindo, Kassinha!!

bjsss