sábado, 25 de outubro de 2008

Olha,

seu olhar, inspiração! Como uma vida inteira sem ser vivida.
Seu olhar que devora e ao mesmo tempo acolhe.

Entre palavras desconhecidas, entre (im)particularidades.
Olhar precisão e com um quê de imaginário.
Desconheço a intensidade, se dele faço parte, se nele há o meu suplemento.

Desconheço nele o que já não sei, o que não procuro, o que não direi.

Guardarei seu olhar num livro, numa música, no meu olhar. Guardarei.
Quando o tempo passar, ao me procurar, terá resquícios daquele que nunca me pertenceu, pois era,desde o início, seu.

2 comentários:

rivison disse...

eita kassinha, ta massa. meio 'dor de cotovelo' ne, mas ta bonitinho.

=*

Acássia disse...

o "desconheço" lembrou-me um certo professor de estética.. o texo, elusivo, como sempre.

sobre o comentário acima.. prefiro nao comentar =S