sábado, 20 de outubro de 2007

III Bienal: A literatura está em festa!



A III Bienal Nacional e a I Internacional do Livro de Alagoas se apresentam no cenário alagoano e têm como desafio fazer por dez dias, 19 a 28 de outubro, os alagoanos respirarem literatura. A festa dos livros será no Centro de Convenções – Jaraguá, das 10h às 22h e terá a entrada franca. Ela contará com a presença de vários artistas da terra, como também, nomes nacionais. O chargista e cartunista Paulo Caruso é presença garantida. A Bienal é uma realização da Universidade Federal de Alagoas, através da editora da Universidade (Edufal).

Os entusiasmados organizadores estão apostando no sucesso do evento, o público previsto é de 100 mil pessoas, apesar do Estado de Alagoas apresentar o perfil de 78% de leitores que possuem no máximo, o 1º grau incompleto e o índice de analfabetismo de 36,28%. Mesmo assim, a Bienal pretende chamar a atenção de crianças em busca de livros coloridos aos estudiosos da literatura. Contará também, com a presença de 25 mil estudantes da rede de ensino pública e particular, com visitas monitoradas. Todas as tardes, quem comparecer ao Jaraguá, poderá participar de oficinas e mesas redondas e nas noites haverá palestras com personalidades literárias.

Com a programação bem abrangente, o evento garante desde oficinas de histórias em quadrinhos a discussões sobre a Educação Superior de Alagoas. Os bate-papos terão espaço reservado num café literário destinado ao público e autores. Essa é uma das apostas dos organizadores. Estudantes, professores e, principalmente, interessados na arte literária vão fazer da Bienal um evento único, e quem sabe inovador num Estado necessitado de atenção cultural. Informações adicionais podem ser encontradas no site http://www.edufal.com.br/bienal2007.

(Matéria publicada no site Alagoas Agora)

2 comentários:

david disse...

pessimaaaaaaaaaaa




volte pa rehab e escreva artigo de la para o the new york time ahuahuahuahua

Estêvão dos Anjos disse...

Livros
Caetano Veloso
Composi�o: Caetano Veloso

Trope�avas nos astros desastrada
Quase n�o t�nhamos livros em casa
E a cidade n�o tinha livraria
Mas os livros que em nossa vida entraram
S�o como a radia�o de um corpo negro
Apontando pra a expans�o do Universo
Porque a frase, o conceito, o enredo, o verso
(E, sem d�vida, sobretudo o verso)
� o que pode lan�ar mundos no mundo.


Trope�avas nos astros desastrada
Sem saber que a ventura e a desventura
Dessa estrada que vai do nada ao nada
S�o livros e o luar contra a cultura.


Os livros s�o objetos transcendentes
Mas podemos am�-los do amor t�ctil
Que votamos aos ma�os de cigarro
Dom�-los, cultiv�-los em aqu�rios,
Em estantes, gaiolas, em fogueiras
Ou lan�-los pra fora das janelas
(Talvez isso nos livre de lan�armo-nos)
Ou � o que � muito pior � por odiarmo-los
Podemos simplesmente escrever um:


Encher de v�s palavras muitas p�ginas
E de mais confus�o as prateleiras.
Trope�avas nos astros desastrada
Mas pra mim foste a estrela entre as estrelas.